quinta-feira, 2 de abril de 2009

Hardcore Skinheads

Neste post, o meu primeiro, pretendo explicar a relação de alguns Skinheads com o Hardcore. Uma "vertente" mais recente da subcultura skinhead, os Hardcore Skinheads, como o nome diz, são skinheads envolvidos com a cena Hardcore. Diferentemente dos skinheads mais puristas, que têm uma orientação musical mais voltada à musica negra e jamaicana, ou mesmo ao Oi!. Alguns destes puristas tendem a considerar aqueles mais voltados ao hardcore "punks de cabeça raspada". Este rótulo talvez seja dado em função não apenas da música ouvida mas pelo visual adotado pela maioria dos Hardcore Skinheads, que inclui Moletons com ou sem capuz, regatas, bandanas, calças jeans mais largas, ou mesmo cortadas na altura dos joelhos e tênis, muitas dessas peças sendo usadas para proporcionar um conforto maior, principalmente em shows.


"Crucified, Skinhead Army, Crucified For Your Sins"

Quanto à música, apesar de obviamente, o foco ser o Hardcore, há outros gêneros ouvidos, como o Trash Metal, o Crossover, o Rap, e mesmo os ritmos mais associados à subcultura Skinhead, como o Ska, o Soul, entre outros. Principalmente no caso do NYHC (Hardcore de Nova York), que teve a cena fortemente influenciada por bandas de Washington D.C., como Minor Threat e Bad Brains, há uma grande influência por parte do Thrash Metal, do Crossover, do Rap, e obviamente, do Punk e do Hardcore Punk, o que pode ser notado o se observar as muitas bandas surgidas em NY, que vão de Beastie Boys a Gorilla Biscuits, passando por Madball, Agnostic Front, Warzone, Sick Of It All, Cro-Mags, Murphy's Law, Urban Waste, entre outras. Talvez, a casa de shows mais conhecida no meio underground, seja o CBGB, que apesar do nome ("Country, BlueGrass and Blues"), se tornou talvez, o berço do Punk nos EUA e que mais tarde, abrigou shows de Warzone, Sick Of It All, Agnostic Front, entre outras bandas, principalmente no horário da Matinê de Domingo. No vídeo abaixo, do Agnostic Front, é possível ver as claras referências à participação de headbangers, punks e skins na cena do NYHC.





Há cenas com Skinheads mais voltados ao Hardcore, de países como a Holanda, que tem o Discipline, que toca um som influenciado tanto pelo Oi! e Street Punk quanto pelo Hardcore, como principal expoente; até o Brasil, onde apesar de haver poucos indivíduos que se dizem Hardcore Skins, há um certo número de skinheads que frequentam shows de Hardcore.


Vídeo da banda Madball, gravado em São Paulo.

8 comentários:

Felipe de Oliveira disse...

Esse lance do puritanismo chega a ser extremo, em muitos casos. Como diz o Buster Bloodvessel, do Bad Manners, um skinhead de verdade respeita as outras subculturas. E se isso deve ser esperado, por que não fazê-lo com quem curte também Hardcore?

O som bacana que tem por aí é pra se curtir mesmo. Afinal, é inegável que bandas como Agnostic Front e Discipline sejam muito, muito boas.

Parabéns pelo blog!

Longa Vida Oi!

Chernobyl disse...

Ae Daniel, vaaaleu!
Loco o primeiro post, é nois rapaz!!!
***

E Felipe, concordo com você!!!

Gabriel disse...

é foda maluco que pega a cadeira sem pedir....

Alexander disse...

hahahahahaha Vai se foder Gabriel!!!!
Você ainda ta reclamando disso!!!!!!!

Daniel. disse...

Opa, valeu, pelo apoio.

Espero continuar fazendo outros posts interessantes. Valeu ae galerinha.

Skinhead_ABC disse...

Skinhead que é skinhead encoxa a mãe no tanque, ops, isso era coisa de Punk... Skinhead ouve o que quiser, só acho de deve saber de suas origens e manter o respeito perante a outras culturas de rua, deste que não falte com respeito. Como dizia o Sabotage... Respeito é pra quem tem!

Phy disse...

Ótimo blog e post, meus parabéns! Conheço outros gêneros do hardcore e escuto muito desde criança, mas confesso que não conhecia nenhuma banda antes de ler esse post, vou atrás de mais material agora. Até mais!

Anônimo disse...

post perfeito, acho que so faltou o warzone, acho que das bandas de hardcore skinhead, foi a que mais bateu em cima dessa identidade. Mas ai vai de cada um