terça-feira, 22 de setembro de 2009

Entrevista com Madball

Curta entrevista com a banda de NYHC Madball.


1. O que pensas das pessoas que dizem que as bandas de Nova York são fascistas e racistas?

Freddy
: Eu penso que essa gente está muito equivocada, parece que não sabem do que falam. Estás a referir-te às bandas de Hardcore? Certo? Em Nova York a cena é muito diversificada, brancos, negros, etc. Há de tudo, gente de todas as raças. Em Nova York não se mistura muito a política com a música, ao contrário de vocês aqui na Europa. Que mais posso dizer? Tantos anos a lutar contra esse género de atitudes, para depois vir aqui e ainda nos chamarem de fascistas. Tem havido chapada em alguns dos nossos concertos por causa de pessoas que nos acusam de white power e nazis...tantas vezes que temos lutado contra essas pessoas e escrevemos canções apelando à unidade entre todos, mas há sempre alguém que continua com as mesmas acusações. Acabaram-se as palavras! Agora partimos para a violência. Se alguém me atira isso à cara, vai ter de levar porrada.



2
. O teu irmão, Roger, tem tatuado um skinhead no braço. Que significa essa tatuagem?


Freddy
: Freddy: É um skin crucificado, tem muitos anos. Vê-la em memória de um amigo que morreu à uns anos. Ele e Vinnie e muitos outros fizeram essa tatuagem. Foi em memória do seu amigo. Mas o que as pessoas têm de perceber, e ai é que está o problema, é que quando alguém diz skinhead está erradamente a admitir que todos os skinheads são maus, nazis, e que vão desfilar com bandeiras nazis. Nem todos os skinheads são assim. Quando os Agnostic Front e outros grupos do género começaram a tocar, muitos de eles eram skinheads. Mas não eram white power, nazis, nem nada disso. Eram Skinheads do Hardcore. Era uma maneira de se vestirem. O mesmo se passa com a forma como se veste um Straight Edge. Nada mais. Não tinha nada que ver com política, nem com raças, nem nada disso. Sim, nessa altura havia muita gente, de diferentes raças, envolvida na cena, e ainda há.

3. Qual é atua opinião acerca do movimento Red Skin e SHARP?

Freddy: Toda e qualquer pessoa tem o direito de fazer o que quiser, é a sua própria vida. Por vezes isso é bom. Ser Red Skin, SHARP é estar contra o Governo...mas às vezes esses grupos criam os seus mundos à parte, fecham-se e quase só comunicam entre eles, e na minha opinião isso não é bom. Todos temos de estar juntos. Não importa se és Straight Edge, vegetariano, comes carne...as pessoas separam-se muito. Formam grupos isolados. Penso que não deve ser assim. Devemos estar todos unidos. Não importa se comes carne ou não, se consomes drogas ou não...

Fonte: Desconhecida, mas acredito ser de algum site Português.

9 comentários:

Contradição Afirmação Guerra disse...

Entrevista curta e, pelo visto, bem sincera. Apesar de não ser muito fã de Madball, e sim do Agnostic Front e Warzone, gostei das respostas.
Wiedersehen!

Tiago M disse...

Nem andaria com eles, usam umas camisas feionas de jogador de basquete! Aonde já se viu..

Alexander disse...

Falta de elegância é foda!!!hahahaha

ABC_Skinheads disse...

Hardcore Skins Rules! OI!

Roger disse...

Tiago vc nem andaria com eles msm, pq vc é muito gay! uiuiui...

Fresh Out The Box disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
women in extreme metal disse...

puta o carater das pessoas nao sao vitrine para ficar de estampa por ai..a ideologia passada nas musicas e nas atitudes e que correspondem a algo significativo..onde ja se viu concordo com o cara acima ele e mutio gay para andar com os caras da banda ..e aqui nao e site de moda pra discutição de roupas ,e sim um site de responsa.
vida longa oi!

Alexander disse...

¬¬

Guilherme Euripedes disse...

Gays não podem andar com você/eles no Recreio?